Top 10 – Destaques Filmes 2017

Começo o post pedindo desculpa aos fiéis leitores do blog pelo imenso atraso ao entregar esse Top. Em um futuro post me retratarei adequadamente – comentando até mesmo sobre outros aspectos que estão influenciando a baixa postagem no Soronerds – mas, por agora, vamos dar uma rapida palavrinha sobre os filmes de 2017.

Antes, gostaria de destacar um ótimo longa que, devido ao seu lançamento no ano de 2016, acabou ficando de fora do Top daquele mesmo ano : Animais Noturnos. Com uma história tensa e extremamente bem amarrada, com ótimas atuações (não me lembro de nenhuma atuação “mediana” nesse filme) de um elenco muito competente, esse seria um filme que não só estaria entre os destaques como poderia até mesmo figurar em um Top 5.

2017 foi um ano mediano das grandes produções (e mesmo as alternativas também), com um leve amadurecimento para as produções “heroicas” – que atingiu o auge agora em 2018, com a indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Adapatado para o filme “Logan”. A ação ficou em segundo plano, dando lugar a uma exploração e desenvolvimento interno de seus personagens, visto nos principais Blockbusters do ano. Foi um ano em que as emoções tomaram o lugar, em que o Cinema pareceu refletir mais sobre elas, ainda que timidamente – como alguns exemplos, os longas “Extraordinário”, “Como Nossos Pais”, “Personal Shopper”, “O Rei do Show”, “A Criada”, “Bingo” e “Toni Erdmann”.

Sem maiores delongas, deixo abaixo o Top 10 Destaques de Filmes do ano de 2017:

 

10. John Wick – Um Novo dia para Matar

Essa sequência de ação do longa de 2014 prova o seu valor, entregando uma história complexa e empolgante, com um Keanu Reeves bem distante do bom moço visto em “Matrix” ou “Advogado do Diabo”. Com cenas de ação muito bem orquestradas – até mesmo de tirar o folego – traz um gancho em seu final que faz o espectador viajar na expectativa do próximo longa.

 

 

9. Corra!

Corra! Uma das grandes surpresas desse ano, conta com o promissor diretor Jordan Peele no início de sua saga por filmes críticos sociais, unidos a uma boa dose de tensão e suspense. Não espere grandes reviravoltas ou sustos bobos : seu objetivo não é esse, nem de longe. De forma amarga, retrata o quanto o racismo ainda está presente nesse mundo e sem data certa para sair, submetendo a raça negra em prol da raça branca.

 

8. Thelma

thelmaA versão norueguesa de “Carrie A Estranha” é realmente muito mais do que parece. Escolhido por seu país para concorrer ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, traz uma protagonista com problemas reais e atuais, ainda que pincelados com um toque paranormal. É delicioso assisti-lo do início ao fim, especialmente por sua imprevisibilidade, ótima fotografia e cenas impressionantes.

 

7. Moonlight – Sob a Luz do Luar

moonlightÉ impossível não se sensibilizar – e admirar – a história do jovem Chiron/Black, de sua infância a fase adulta. Negro e homossexual, o protagonista se ve cercado por todos os lados, tendo um pouco de alivio no Traficante Juan (Mahershala Ali, em uma ponta excelente que lhe rendeu o Oscar 2017 de Melhor Ator Coadjuvante) e seu amigo/alvo amoroso Kevin. Traz uma fotografia poética e super caprichada.

 

6. Blade Runner 2049

bladerunner2049Se você se intimidou com os quase 180 minutos de duração desse longa, devo dizer que perdeu um dos melhores filmes Sci Fi do ano. Ação, ficção, personagens complexos, criticas sociais, montagem, som e fotografia acima da média, com cenas tão belas que merecem um quadro na sala da sua casa. A dobradinha Gosling / Leto funciona, mesmo sem contracenarem juntos. Faz jus ao seu antecessor.

 

5. IT – A Coisa

it2No mundo de hoje são poucas as refilmagens que realmente fizeram sentido terem acontecido – em especial do genero terror, com os novos “Sexta Feira 13” (2009), “A Hora do Pesadelo” (2010) e “Halloween” (2007) lançados para confirmar o que digo. Mas o que o diretor Andy Muschietti consegue é não só renovar a velha história como traze-la muito mais próxima aos livros, dividindo em duas partes para ser o mais fiel possível. Com isso, temos um filme que brinca com o terror de uma maneira séria (parece contraditório, mas é verdade), quase na mesma onda do sucesso televiso “Stranger Things”. Aliás, o jovem Finn Wolfhard integra o novo clube dos perdedores, aterrorizados pela monstruosa criatura vivida pelo singelo Bill Skarsgard.

 

4. Mãe!

mother-06570R_125649001_223037492-920x584Esse longa cheio de referência míticas e extremamente perturbador realmente chamou atenção. É dificil conhecer alguma pessoa que o tenha assistido mais de uma vez e, se o fez, pode ter tido sua saude mental seriamente comprometida. Mas o que realmente importa aqui é o que ele deixa no final : confusao e impotência. Ja imaginou como poderia ser o pior dia da sua vida? E se tudo saisse do seu controle? Até que ponto temos controle sobre o que nos rodeia? Confuso? Acostume-se, pois isso é só o começo.

 

3. Logan

logan-x23-claws-hotelDemorou tempo demais para que os fãs de Wolverine pudessem ver um filme a altura de seu personagem amado. As duas tentativas frustradas anteriores (2009 e 2013) jamais poderia preparar para o que viria em 2017 : um longa extremamente sensível, que não só trata da finitude humana como um todo mas, também, da sua insistência em sempre passar o legado a frente (ou chame de hereditariedade/geração). Com Johnny Cash puxando o carro da bela trilha sonora, nos faz crer que realmente nada poderia dar errado com esse filme, não é mesmo?

 

2. Em Ritmo de Fuga

babydriverUma das grandes surpresas do ano é tambem um dos maiores destaques, por que não? O diretor Edgar Wright se superou criando um longa tão incrível que parece uma mistura boa de “Pulp Fiction” com “Velozes e Furiosos”. Ansel Elgort, aos poucos, mostra que tem talento e flexibilidade para encarnar os mais variados tipos de personagens. Com um elenco recheado de estrelas (de Jon Hamm a Jamie Foxx) que funciona completamente, traz uma das cenas iniciais mais fodas de todos os tempos. Coloque os fones de ouvido no máximo (com precaução) e aproveite!

 

1. La La Land – Cantando Estações

la_la_land_imbd_divulgacaoO filme queridinho do ano, com numeros musicais que ficam gravados na sua memória, embalados pela ótima orquestração de Justin Hurwitz e do diretor Damien Chazelle, com um belo figurino e belas homenagens (ainda que visuais) aos antigos musicais. A química entre Emma Stone e Ryan Gosling (novamente figurando por aqui) é das melhores, com direito a uma ponta engraçada do ótimo ator J.K.Simmons (ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo longa anterior de Chazelle, “Whiplash – Em Busca da Perfeição”).

About Agostinho Bernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *