Review – Star Wars : Os Últimos Jedi

star_wars_8

Elenco: Dirigido por Rian Johnson. Com Daisy Ridley, Adam Driver, Mark Hammil.

Sinopse: Após a destruição da Nova República pelas forças da Primeira Ordem, o Supremo Lider Snoke pressiona os rebeldes com seu exército, buscando a formação de um novo império. A jovem Rey pede ajuda ao Mestre Jedi Luke Skywalker, exilado em um planeta que guarda as raizes da Ordem Jedi. Quando uma estranha conexão se forma entre Rey e Kylo Ren e ambos começam a questionar a essencia da Força, o lado que cada um escolher poderá definir os rumos da guerra.

Impressões:  Star Wars Os Últimos Jedis peca ja de início pelo seu título: como o próprio diretor Rian Johnson já havia revelado, o significado bate muito mais no singular do que no plural, referencia ao clássico personagem da saga e sua importância para esse segundo longa da nova franquia. Em essência, o oitavo filme da saga Star Wars representa a passada de bastão da geração antiga para uma mais nova, com os velhos clichês da opressão totalitarista de um governo tentando se sobressair, frente a um grupo menor que insiste em resistir.

Tecnicamente, o longa é excelente: seja por suas cenas de batalhas espaciais (envolvendo uma tensão maestral) ou pela exibição de uma destruição em massa (com destaque a um dos climax envolvendo a perda total do som, o que potencializa o seu impacto), traz uma paleta de cores claramente tricolor, entre o preto, vermelho e branco – e como são belas as cenas no planeta Crait, daquelas prontas para se tornar Papel de Parede em seu computador.

Fica claro aqui a intenção Disney de não só contar uma boa história, leve e coesa, como torná-la parte de um grande quebra cabeça, ainda que não fique claro exatamente o seu todo. As cenas no planeta cassino envolvendo Finn, entretanto, mostram-se desinteressantes e totalmente sem importância, unicamente para dar mais tempo a um filme que não precisava disso.

O papel de Luke Skywalker na trama funciona perfeitamente como a figura do Mestre exilado que perdeu a fé, ainda que manche a imagem do heroi que fora construida nos ultimos quarenta anos. Talvez isso seja o resultado de um amadurecimento ou uma tentativa brusca de evolução? Daisy Ridley consegue suprir suas claras limitações como atriz com carisma e doçura, mostrando-se muito natural durante toda a projeção; mesmo o desenvolvimento do problemático Kylo Ren de Adam Driver se mostra mais claro agora, e sua divisão entre a Luz e a Escuridão promete render bastante em um futuro não tão longinquo, o que inclui o início de uma discussão sobre a Força e o que realmente representa dentro desse Universo.

Curiosidades & Spoilers:

  • Último filme da atriz Carrie Fisher, falecida em Dezembro de 2016;
  • Lançado 40 anos depois do primeira longa “Star Wars : Uma Nova Esperança”;
  • O longa contou com várias participações especiais, entre eles: Justin Theroux (The Leftovers, Fuller House), Joseph Gordon Levitt, os diretores Gareth Edwards (Rogue One) e Edgar Wright (Homem Formiga e Em Ritmo de Fuga), Tom Hardy. Houve, até mesmo, cenas cortadas em que participaram os principes William e Harry;
  • Se tornou o filme mais longo da franquia, com 152 minutos de duração.

 Nota (de 0 a 100): 78

About Agostinho Bernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *