Review – Extraordinário

extraordinario

Elenco: Dirigido por Stephen Chbosky. Com Jacob Tremblay, Izabela Vidovic, Julia Roberts.

Sinopse: O pequeno Auggie Pullman nasceu com uma deformação facial genética, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas. Com 10 anos, ele se vê desafiado a enfrentar uma escola pela primeira, assim como o preconceito de outras crianças e adultos.

Impressões:  

A linguagem fácil do novo longa de Stephen Chbosky (conhecido pelo bom “As Vantagens de ser invisível”) é, sem dúvida alguma, um de seus pontos mais fortes. Talvez na mão de outros diretores a história poderia facilmente se converter em um melodrama tedioso, mais do mesmo e pouco criativo. Ao invés disso, o filme se concentra especialmente nos personagens, mostrando-nos pequenas lacunas de suas personalidades que não só nos fazem compreende-los melhor como nos deixa na ansia de conhece-los um pouquinho mais. As dificuldades que o pequeno Auggie enfrenta são tão verdadeiras e não mais importantes do que os problemas que seus colegas e mesmo sua irmã mais velha tambem enfrentam em seu dia-a-dia, trazendo a já conhecida mensagem de que não se deve julgar seu próximo por não sabermos o que de fato acontece com este.

O pequeno Jacob Tremblay mostra que seu potencial artístico já é praticamente uma realidade: carismático e muito talentoso, sabe exatamente o momento certo de dominar as cenas e de dividi-las com seus parceiros de atuação, que conta com uma atuação doce e suave da veterana Julia Roberts e uma ponta mais que perfeita da ótima Sonia Braga. E se Owen Wilson aparece quase no piloto automático para as cenas mais descontraidas (ainda que sem exageros e com direito a uma cena até mesmo instrospectiva), a surpresa se revela em seu elenco mirim, que confere alma e autenticidade sem se mostrar piegas ou desajeitado.

Com uma fotografia quente e fria como se simulasse os sentimentos do personagem principal (além de uma clara influencia ao Espaço e a franquia “Star Wars”), apresenta uma trilha sonora pacata e sem exaltações, com uma edição coesa e sem cortes bruscos, com uma clara enfase em angulos mais abertos e de cima pra baixo, como se representasse todos aqueles personagens tão pequenos frente ao mundo a sua volta. O unico pecado cai por conta do ritmo no ultimo ato, com três finais muito claros acontecendo ali. Mas acaba amenizado por conta da ótima cena na diretoria com os pais do pequeno bullier, numa rapida e precisa discussão sobre a essencia do Bullying e por que dificilmente isso se extinguirá em nossos dias atuais.

Curiosidades & Spoilers:

  • A escritora Raquel J. Palacio teve a inspiração para a história quando levou seu filho para tomar um sorvete e encontraram uma criança com Sindrome de Treacher Collins (condição hereditária em que alguns ossos e tecidos do rosto não se desenvolvem), levando seu filho as lágrimas;
  • A maquiagem que Jacob Tremblay usou no filme para caracterizar Auggie chegou a levar duas horas para ser feita, fazendo com que a própria atriz Julia Roberts nunca tivesse visto seu rosto sem maquiagem no set;
  • A atriz Emma Tremblay, irmã do protagonista, faz uma pequena participação.

 Nota (de 0 a 100): 80

About Agostinho Bernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *