Review – It – A Coisa

it_2017_1_758_426_81_s_c1

Elenco: Dirigido por Andy Muschietti. Com Bill Skarsgard, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard.

Sinopse: Um grupo de adolescente – chamados de “Losers Club” – de uma pacata cidade no Maine enfrentam os problemas comuns de um adolescente enquanto formam sua própria identidade, amadurecendo seus laços de amizades. A rotina da cidade muda com o desaparecimento incomum de algumas crianças, tendo como responsável um estranho ser sobrenatural.

Impressões:  Afirmar que o medo é nosso principal inimigo é, talvez, afirmar o óbvio. Por toda nossa vida, sentimos medo: o próprio ato de viver nos desperta o medo mais primitivo de todos, o medo da morte. Aos poucos, vamos descobrindo o quanto nossa própria vida, por si só, pode ser assustadora, trazendo o medo personificado em figuras comuns como o valentão da escola, o escuro, aranhas amedrontadoras, entre tantos outros tipos possíveis. E não é exagero dizer que esse longa traz, além de uma figura sinistra personificada em um palhaço dançarino, todos esses elementos explorados através da narrativa de seus personagens. Cada um deles traz seu próprio medo à tona, sendo alguns deles compartilhados e, outros, mais particulares. Esse talvez seja um dos aspectos que mais humanizam esses personagens frente ao longa de 1990 “It – Uma obra prima do medo” pois torna-se muito mais próximo do espectador ao apresentar medos mais comuns, com experiências de vida mais críveis, explorando melhor o tempo presente sem os intervalos de flashback.

Por outro lado, o vilão Pennywise (vivido com uma certa excentricidade pelo mediado Bill Skarsgard) se mostra um pouco mais previsível do que sua versão de 1990, ainda que mais ameaçador e cruel, não se poupando ao mostrar-se sanguinário com meros pré-adolescentes (o que, por si só, acaba fazendo com que o espectador compre a ideia, favorecendo a imersão naquele mundo). O diretor Muschietti opta pela segurança ao proporcionar o clima de terror, abusando de planos mais fechados e com uma fotografia escura, destacando o vermelho e o azul mais escuro como signos perfeitos da Coisa, além de trazer uma trilha ensurdecedora, com arranhados e gemidos que já assustam por si só.

Destaca-se o plano aberto mostrando o fundo do poço com as figuras “em flutuação”, além de cenas icônicas como a do bueiro e a do retroprojetor, primorosas pelo equilíbrio proporcionado entre a inocência de seus protagonistas frente a artimanhas e até um toque sedutor do palhaço demoníaco.

Curiosidades & Spoilers:

  • Baseado no livro “It” do autor Stephen King, publicado em 1986;
  • O ator Bill Skarsgard, que dá vida ao palhaço Pennywise não conheceu nenhum dos atores mirins até o começo das filmagens, para garantir que eles se assustassem com o personagem naturalmente;
  • A cidade fictícia do filme já foi cenário de outras obras de Stephen King: “Insônia”, “Saco de Ossos” e “O Apanhador de Sonhos”.

Nota (de 0 a 100) : 80

About Agostinho Bernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *