Review – Corra!

corra

Elenco: Dirigido por Jordan Peelee. Com Daniel Kaluuya, Allison Williams, Catherine Keener.

Sinopse: Em um final de semana qualquer, Chris e a nova namorada decidem ir até a casa da família da moça. Chris tem receio por ser negro e toda a família de sua namorada, caucasiana. Mesmo com os bons tratos dos familiares, Chris acaba entrando em paranoia de que há algo de muito errado por lá.

Impressões:  Deve-se reconhecer que o longa do diretor Jordan Peelee funciona perfeitamente como suspense, daqueles de prender o espectador em uma cadeira tão semelhante ao que o protagonista é submetido, em uma das cenas icônicas mais tensas. Entretanto, soa um certo exagero chama-lo de Thriller Social pois, ainda que na maior parte do tempo vejamos uma série de cenas e sequencias que buscam retratar através de metáforas – ou mesmo de maneira direta – o tipo de tensão psicológica que um negro possa vir a sofrer frente ao mundo hostil e imprevisível que o cerca, fica um tanto incerto que o filme se prenda apenas nesse conceito, permitindo que imaginemos essa mesma situação acontecendo com qualquer outra pessoa. O tema preconceito passa debatido, mas funciona muito mais como uma cereja do bolo do que o recheio deste.

A atuação de Daniel Kaluuya é segura e muito expressiva, permitindo ao espectador uma conexão necessária que faça com que não só nos importemos com a situação com a qual seu protagonista se envolve como o seguimos quase de mãos dadas. O grande ponto baixo acaba sendo as cenas em que o amigo do protagonista aparece, pois acaba suavizando demais o longa e confundindo o espectador perante o real gênero do qual este pertence. É compreensível existir momentos de descontração para não deixar o tom do filme pesado demais; por outro lado, quando isso cai no exagero, acaba enfraquecendo a experiência de imersão.

Ainda que seja possível descobrir todo o mistério graças a narrativa que entrega pequenas pistas, o longa mostra-se honesto por não trazer explicações baratas ou mudar drasticamente o comportamento de seus personagens. Sua coerência é retratada também através de sua trilha sonora, que apoia-se na boa harmonização entre o som ambiente e uma composição média e equilibrada. A fotografia é trabalhada com cores mortas – especialmente o marrom – em oposição a um azul mais claro, representando claramente as divisões de núcleos entre os personagens, além dos elementos que os cercam.

Curiosidades & Spoilers:

  • O diretor Jordan Peelee revelou em entrevista que a ideia para o longa partiu de um stand up do ator Eddie Murphy, em que este contava a respeito de sua experiência ao visitar os pais de sua namorada caucasiana;
  • O longa foi filmado em apenas 28 dias, em locações em Fairhope e Mobile, no Alabama;
  • Primeiro longa do diretor e da atriz Allison Williams;
  • A Universal fez um contrato de três filmes com o diretor Peelee, que serão centrados em filmes de terror com alguma temática social;
  • O longa teve orçamento de $4,5 milhões e arrecadou na bilheteria mundial o montante de $150 milhões.

 Nota (de 0 a 100): 74

About Agostinho Bernardes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *